Hérnias

Hérnia é uma espécie de saco que contem estruturas que sofreram protrusão da através dos músculos do abdome. Ou seja, é uma bolsa que está situada fora da cavidade abdominal e que contem estruturas que deveriam estar dentro dessa cavidade, mas que saíram por aberturas na parede do abdome. Essas aberturas podem ser defeitos congênitos (nasceram com a pessoa) ou adquiridos relacionado a uma pressão súbita ou repetida nos músculos do abdome. Uma hérnia frequentemente se desenvolve quando algumas camadas da parede abdominal se enfraquecem, se dilatam ou se rompem levando à saída de órgãos e tecidos internos

Qualquer parte da parede abdominal pode desenvolver hérnias, contudo o local mais comum é a região inguinal, também chamada de virilha. Hérnias inguinais provocam abaulamento nesta área podendo acometer o bolsa escrotal nos homens e os grandes lábios nas mulheres. Hérnias umbilicais são formadas quando o conteúdo abdominal escapa pela cicatriz umbilical. Hérnias femorais ocorrem logo abaixo da região inguinal, próximas os vasos femorais.Outro tipo de hérnia que podem se formar no abdome são as hérnias que acometem as cicatrizes de cirurgias passadas, sendo chamadas de hérnias incisionais.

Frequentemente o conteúdo das hérnias voltam espontaneamente ao abdome, especialmente quando se está deitado, ou podem ser re-introduzidas com o auxilio das mãos. Nesses casos chamamos essas hérnias de redutíveis. Quando uma hérnia não pode mais ser re-introduzida na cavidade abdominal chamamos de hérnia irredutível ou encarcerada.


 

Os Diferentes Tipos de Hérnia

 

Tipos de Hérnia

Tipos de Hérnia

 

Hérnias Inguinais estão localizadas na região da virilha, que é a região entre o abdome e a coxa. É o tipo mais comum de hérnias nos adultos, acomete principalmente os homens, mas também podem ocorrer nas mulheres. Neste tipo de hérnia o conteúdo abdominal, principalmente o intestino, saí da cavidade pelo enfraquecimento ou abertura dos músculos do abdome, criando um abaulamento visível e algumas vezes dor. A dor causada pela hérnia inguinal pode ser constante, diária ou esporádica. Hérnias inguinais podem ser bilaterais, ou seja, acomete os dois lados do abdome.

Hérnias Umbilicais ocorrem ao redor da cicatriz umbilical, também conhecido com “umbigo”. Esse tipo de hérnia pode ser resultado de tensão súbita ou contínua nos músculos abdominais. Nos adultos, como em qualquer outro tipo de hérnia, a hérnia umbilical não cura espontaneamente, pelo contrário, tem tendência a aumentar e causar encarceramento ou estrangulamento e se tornar problemática. Já nos recém- nascidos com hérnias umbilicais a cura pode ser espontânea dependendo do tamanho da hérnia, desta forma a cirurgia pode ser postergada para uma idade de 2 a 3 anos.

Hérnias Incisionais podem ocorrer na região do abdome que sofreu cirurgia no passado, recente ou tardio. Hérnias desse tipo geralmente acompanham abaulamento típico ao longo da cicatriz podendo ser sentida uma depressão da parede abdominal quando o conteúdo herniário é reduzido. A dor pode ser um sintoma precoce, muitas vez precedendo o abaulamento. Hérnias incisionais podem ser resultado de:

  1. Tensão na região da cirurgia
  2. Ruptura da sutura da parede abdominal
  3. Cicatrização inadequada, que pode ser causada por obesidade, doenças metabólicas, infecção ou estado nutricional precário

Uma vez que suturas sobre tensão podem ser a causa da hernia incisional é altamente recomendável que o reparo seja feito pela Técnica da tela sem tensão que evita uma possível recorrência.

mesh

Tela usada no reparo da hérnia

 

Hérnias Femorais ocorrem praticamente no mesmo local que as hérnias inguinais, resultando em um abaulamento ligeiramente mais baixo que as hérnias inguinais. Elas são resultado da saída do conteúdo abdominal através do canal femoral. Esse tipo de hérnia tende a ser mais comum nas mulheres devido ao ângulo e formato da pelve, já o homem possui um anel inguinal mais largo, que o torna mais susceptível as hérnias inguinais.

É difícil distinguir, através do exame físico, as hérnias femorais das hérnias inguinais. Além disso, hérnias femorais são mais propensas a complicar com encarceramento e estrangulamento. Logo seu tratamento é extremamente recomendável mediante o seu diagnóstico.

femoral

 


 

Quem tem hérnia?

Aproximadamente dois milhões de Brasileiros sofrem de hérnias todos os anos. Algumas hérnias são congênitas e diagnosticadas logo após o nascimento. Outras são adquiridas, acometendo a maior parte das vezes os adultos, principalmente os homens. A maioria das hérnias dos adultos resulta de pressão ou esforço súbito ou repetido nos músculos abdominais. São paciente que possuem maior probabilidade de adquirir hérnia:

  • Levantam peso em excesso
  • Possuem dificuldade para urinar
  • Constipados
  • Tossidores Crônicos

 

Quais são os sinais e sintomas?

A maioria dos sinais e sintomas que uma hérnia pode causar são locais, porém sintomas mais gerais também podem ocorrer e são:

    • Dilatação, abaulamento ou saliencia na ragiao da virilha, região umbilical ou em cirurgia anterior.
    • Dor ou desconforto na região acometida
    • Cólicas, náuseas ou vômitos
    • Constipação
    • Dificuldade de Urinar

 

Quais são os cuidados pós-operatórios?

  • Evite dirigir nos primeiros dias.
  • Evite esforços físicos por tempo determinado por seu médico, respeitando as características individuais da técnica cirúrgica, do paciente e da doença.
  • Comunique seu médico se sofrer de constipação intestinal ou se no pós-operatório seu intestino demorar muitos dias para voltar a funcionar para que as medidas apropriadas sejam tomadas.
  • Não há restrições alimentares desde que você esteja sem desconforto abdominal ou náuseas.
  • Compareça à consulta de reavaliação pós-operatória.
  • Comunique seu médico imediatamente caso tenha qualquer dúvida.

Quais são os sinais que podem indicar que a minha recuperação não está dentro do esperado?

  • Febre e/ou calafrios.
  • Dor intensa na região cirúrgica que não melhora com medicamentos.
  • Feridas cirúrgicas vermelhas, com calor local ou com secreção purulenta.
  • Drenagem abundante de líquidos pela(s) incisão(ões).
  • Náuseas e vômitos incoercíveis.
  • Taquicardia.
  • Mal-estar intenso.
  • Distensão abdominal (barriga inchada).
  • Constipação intestinal (intestino que não volta a funcionar).Nas situações relatadas acima – comunique seu médico imediatamente e/ou retorne ao hospital em que foi operado para atendimento médico de urgência.